Tarte de "leite condensado" de banana e cobertura de creme de cacau



Afinal o que é isto do "leite condensado" de banana? Utilizar a banana triturada nos bolos, barritas, bolachas, etc é uma prática comum nos dias de hoje. Já todos sabemos que ajuda a diminuir consideravelmente a quantidade de alguns dos ingredientes menos saudáveis que habitualmente usamos. A banana dá textura, adoça com o seu açúcar natural, ajuda na ligação dos diferentes elementos,...Podemos então comparar a banana esmagada a leite condensado! Já trituraram banana, congelada ou não, e provaram a seguir? O que vos parece? Já pensaram nas aplicações que falei em cima nos nossos bolos? Já perceberam que está a fazer o mesmo que o leite condensado normal?
É claro que tem as suas limitações. A banana é um fruto e o leite condensado é um composto, ou seja, um preparado artificial, logo, não podemos esperar que se vai ter em tudo os mesmos resultados. Ainda assim, permite fazer muito mais na cozinha e nas nossas sobremesas do que aquilo que possam imaginar.
Apenas por curiosidade, este "leite condensado" de banana é usado há muito tempo não só por quem segue uma dieta vegan (que tem mais formas de fazer "leite condensado"), mas em especial por quem pratica uma alimentação natural, baseada apenas no que a natureza nos dá diretamente. Eu não sigo nenhuma destas dietas, não deixo de tentar ir sempre buscar o melhor que cada uma delas tem para a minha própria alimentação e da minha família.

Outra receita com leite condensado de banana que vai ao forno, já experimentada por uma seguidora, é um Bolo (quadrados) vegano de "leite condensado" de banana (receita aqui). Uma verdadeira delicia e super fácil de fazer.

Mais simples ainda, igualmente deliciosa e pouco calórica, é também esta tarte de maça com banana esmaga. Mais uma vez a banana está a fazer a vez dos habituais cremes nas tartes de fruta. Esta ainda tem a particularidade da própria base ser feita de maça. Espreitem aqui esta receita vegan que é surpreendente.


Para esta tarte resolvi fazer uma base muito, mesmo muito simples e fina. Quis que apenas ficasse realçado o sabor da banana e do cacau, que na minha opinião fazem uma combinação fantástica. Podem fazer uma base mais elabora, com frutos secos por exemplo, tendo apenas atenção ao tempo de cozedura, ou seja, a base que escolherem não deve necessitar mais que 15 minutos de forno para cozer. Se quiserem fazer ainda mais fácil, com base de bolacha maria ou bolacha digestiva, não há qualquer problema. Embora não seja habitual essas bases irem ao forno, não se estragam se forem e também podem diminuir o tempo de cozedura da tarte. A banana coze em 10 minutos, principalmente se for triturada fresca.

Vão precisar de:
Base
  • 1 e 1/2 caneca de farinha de aveia
  • 1 colher de sopa de açúcar mascavado
  • 7 colheres de sopa de azeite + 1 para o final
  • 7 colheres de sopa de água gelada (pus um copo com água no frigorifico 1 hora antes para estar bem fria; é importante neste tipo de massas para não ficarem a agarrar muito ás mãos)
Recheio
  • 4 bananas grandes ou 5 pequenas (podem estar frescas, partidas ás rodelas e congeladas ou semicongeladas- com apenas 2 a 3 horas de congelador; as minhas hoje estavam semicongeladas)
  • 3 gemas de ovos
Cobertura
  • 4 colheres de sopa de cacau em pó (uso magro)
  • 2 colheres de sopa de mel ou adoçante em pó
  • 50 ml de liquido que fica no fundo das latas de leite de coco ou leite
(ver aqui e aqui outras receitas de creme/ molhos de cacau ou chocolate para coberturas)

Confeção:
Liguei o forno a 180ºC.
Coloquei numa tigela grande a farinha e o açúcar (podem pôr mais uma colher se gostarem das massas de tartes doces). Abri um buraco e verti o azeite (as primeiras 7 colheres). Com as minhas mãos amassei bem até estar numa espécie de "crumble".












Fui juntando a água, uma colher de cada vez, e amassando sempre com a minha mão, até ter uma massa que ainda não forma uma bola mas já está compacta.
Abri novamente um buraco e juntei a ultima colher de azeite. Voltei a amassar e formar uma bola.
Forrei uma forma de fundo amovível de 24 cm de diâmetro com papel vegetal e estendi a massa, apenas um pouco para os lados. Reservei.
Triturei a banana no processador de alimentos até estar num creme liso, macio e fofo. Se fizerem com a banana fresca e triturarem com a varinha mágica, façam-no durante bastante tempo, até fazer uma espécie de bolhas. Isso quer dizer que está a entrar ar dentro do vosso creme e estão fazer algo parecido com adicionar claras em castelo. Fica mais fofo e "vaporoso".
Acrescentei as gemas e triturei novamente só para misturar.



Verti sobre a base e levei ao forno por 15 minutos. Retirei do forno só quando arrefeceu para não baixar.

Fiz o creme da cobertura misturando numa tigelinha os ingredientes até estar num creme macio.
Espalhei pela tarte e guardei no frigorifico até há hora de servir.


Uma delicia para fazer quando a dieta não permite mais...