Tarte de frutos silvestres com recheio de batata doce (sem açúcar; sem glúten)



Este ano fui eu a fazer as sobremesas da festa de Natal. Decidir o que ia fazer não foi uma tarefa fácil, vistos ser necessário fazer em formato grande, suficiente para mais de 20 pessoas, agradar a todos e evitar ingredientes limitadores para os alérgicos ou os que praticam dietas especificas.
Já fiz esta tarte outras vezes e aqui no blogue a receita está com uma cobertura de diospiro. Entendi fazer um novo post por esta cobertura, apesar de simples, ter o seu segrego.
Para verem a tarte está publicada com estas características carregar aqui

Para uma forma de fundo amovível de 26 cm de diâmetro vão precisar de:
Base:
  • 1 chávena de miolo de noz
  • 2 canecas de flocos de aveia
  • 2 colheres de sopa de puré de tâmaras (foi retirado do que fiz para o recheio)
  • leite q.b.
Recheio
  • 200g de tâmaras
  • 750g de batata doce de polpa amarela
  • 250 ml de leite
Cobertura
  • 1 caneca de frutos silvestres congelados
  • 1/2 colher de sopa de amido de milho (maizena) ou polvilho doce
  • 1 colher de sopa rasa de açúcar mascavado ou de coco ou adoçante em pó (usei adoçante)
  • água q.b.

Confeção:
(Não tenho fotos da execução da base nem do recheio. Se tiverem duvidas carreguem aqui)
  1. Comecei por pôr as batatas a cozer com a pele em água.
  2. Pus as tâmaras descaroçadas a hidratar em 120ml de água.
  3. Liguei o forno a 180ºC. Forrei a com papel vegetal.
  4. Quando a batata já estava cozida (são cerca de 20 minutos), escorri e pus a arrefecer.
  5. Triturei as tâmaras com a água de demolhar.
  6. Fui preparar a base. Pus o miolo de noz no processador de alimentos e triturei até ter uma farinha fina. Acrescentei a aveia e o puré de tâmaras. Voltei a triturar bem. Como a massa ainda não estava a fazer "bola" no processador, fui juntando leite, aos pouquinhos e não mais que 1 colher de sobremesa de cada vez.
  7. Forrei a forma com esta massa sem chegar aos lados, apenas a base.
  8. Descasquei as batatas e parti-as para uma tigela. Esmaguei-as. Juntei o leite, o restante puré de tâmara e triturei bem com a varinha mágica até ter um creme denso e liso que escorre com dificuldade (podem fazer no processador de alimentos). Podem precisar de acrescentar mais leite, será sempre muito pouco e tem apenas que ver com a qualidade das batatas.
  9. Verti este preparado por cima da base e levei ao forno por 45 minutos.
  10. Desformei só depois de arrefecer.
  11. Para a cobertura, coloquei num tachinho os frutos com o amido de milho. Envolvi e acrescentei o açúcar e cerca de 100ml de água. Levei ao lume, brando e mexendo de vez em quando, até estar um molho cremoso, escuro e brilhante (não é um molho grosso, ele espessa mais depois de frio).
  12. Cobri a tarte com este molho e está pronta a servir. Decorei as fatias com alguns frutos congelados.


    Tão bom... 

Comentários